11 de maio de 2014

Dia internacional contra a homofobia, lesbofobia e transfobia em Sitges, Espanha | 17 de Mayo de 2014

No dia 17 de maio deste ano, a cidade de Sitges, na Espanha, realizará um conjunto de atividades para marcar o “Dia internacional contra a homofobia e a transfobia”. O evento contará com a participação de Benedito Medrado, professor do Departamento de Psicologia (cursos de graduação e Pós-graduação) e um dos coordenadores do Gema/UFPE. Benedito, no momento, desenvolve pesquisa de Pós-doutoramento naquele país.

Além de debate, haverá uma passeata e a reinauguração do Momumento “Triangle”. Esse monumento é um importante marco de resistência política do movimento em favor dos direitos sexuais na Espanha.


Mais informações: www.gaysitgeslink.org


Sobre o monumento
  
Em maio de 1996, o governo municipal de Sitges, sob comando do “Partido Popular y Convergència i Unió” institui a absurda prática de exigir a documentação e realizar “cadastro policial” com os homossexuais que passeavam pela cidade ou pela praia. Chegaram a realizar mais de 200 fichas.

Os coletivos LGBT da época reagiram e exigiram retratação da prefeitura, porém não houve resposta positiva. Diante da impunidade, um grupo de neonazistas atacou violentamente um garçon que trabalhava num bar gay da cidade.

Em resposta, diversos coletivos LGBT, entre eles o FAGC (Front d'Alliberament Gai de Catalunya), o CGB (Col·lectiu Gai de Barcelona), o Casal Lambda y o Grup de Lesbianes Feministas, realizaram em 5 de outubro de 1996 uma grande manifestação em Sitges. Infelizmente, a reação da população local foi ainda mais absurda. Não apenas os neonaziostas, mas a população como um todo recebeu os manifestantes com pedras. Os grupos LGBT tiveram que ser escoltados pela polícia.

Dez anos depois (em 5 de outubro de 2006), a prefeitura, agora sob gestão do “Partido de los Socialistas de Cataluña”, decidiu construir uma escultura, em formato de triângulo rosa invertido para marcar o compromisso de jamais permitir que algo deste tipo possa acontecer novamente. Na inauguração do Monumento foi realizada uma exposição de fotografias ma histórica manifestação e distribuição de cartazes contra a homofobia.

O monumento é uma escultura em chapa de aço, pintado de rosa com a seguinte inscrição “Sitges contra la homofobia / Mai Més”. “Mai Més” significa “nunca mais” em catalão.

O triângulo rosa foi um dos símbolos usados nos campos de concentração nazistas. Indicava quais homens haviam sido presos, por práticas homossexuais. Todos os capturados pelos nazistas recebiam algum emblema em suas roupas. Judeus recebiam um emblema amarelo e mulheres tidas como "anti-sociais" (inclusive, mas não apenas lésbicas), o triângulo preto. No dia 3 de agosto de 2011 morreu Rudolf Brazda, o último sobrevivente dos "triângulos rosas". Rudolf foi mantido no campo de concentração de Buchenwalde e libertado em 1945. Anos depois escreveu a biografia "Triângulo Rosa - um homossexual no campo de concentração nazista”. Desde então, o triângulo rosa de ponta-cabeça passou a ser um dos símbolos de movimentos internacionais favoráveis às minorias sexuais.